quarta-feira, 21 de maio de 2014

Budismo e produtividade


Quando você ler esse post pode pensar que eu sou budista, não, não sou, mas me identifico com seus ensinamentos, pois no budismo encontro fundamentos que privilegiam o bem estar do ser humano sem um olhar pré-concebido, ele é libertador e nos orienta o respeito e a integração com todos os reinos da natureza.


O que quero trazer repassando essa matéria é um reaprender do modo como podemos nos relacionar nos ambientes de trabalho, encontrando a leveza de ser, revelando nossas aptidões exercitando a compreensão do respeito mútuo, com direito a relacionamentos afetivos saudáveis, lazer, cultura... e só quando vivermos em equilíbrio haverá a verdadeira prosperidade. 

De que adianta trabalhar feito louco e sentir-se esgotado, sem tempo para o verdadeiro motivo que leva ao trabalho, exercitar habilidades que embelezem, facilitem e acrescentem benefícios à humanidade!

ivoninha

Jornal El país  05/04/2014

Um monge budista e um coaching trabalhando juntos para adestrar homens de negócios e altos diretores. Técnicas de meditação e controle mental para melhorar a produtividade. A felicidade do operário como alternativa às demissões e à precariedade trabalhista. O que até há pouco tempo parecia ficção científica, hoje vai se instalando com força nas organizações. “Está comprovado: as empresas que têm um bom clima trabalhista e uma motivação positiva de seus empregados são 40% mais produtivas”, assegura Pascual Olmos, que durante os últimos nove anos foi diretor comercial da Repsol. Olmos —que acaba de se aposentar— dá outro dado: “Segundo um estudo da revista Fortune, as empresas que têm a equipe mais motivada, também têm um valor na Bolsa 50% superior às outras”.

“Quando a mente não está em paz, como por exemplo quando está condicionada por uma emoção destrutiva, costumamos tomar decisões que nos arrependemos depois. É muito difícil estar enfadado com alguém e ter uma mente clara para atuar de forma benéfica para o conjunto”, assegura Iglesias, um dos fundadores de Evocalia, empresa que dá assessoria a marcas como Hewelt-Packard, Eroski, Gallina Blanca e Repsol.

Iglesias conta que em seu trabalho de coaching de homens de negócios e diretores, ele se deu conta que muitos altos cargos estavam insatisfeitos mesmo tendo uma posição de poder e que em múltiplas ocasiões essa energia negativa se transmitia para a equipe sob seu comando, prejudicando os resultados. Interessado no budismo tibetano há algum tempo, e buscando em que fonte beber para melhorar seu trabalho, Iglesias viajou em 2006 para o mosteiro de Kopa, em Katmandú, e assistiu a um curso para estrangeiros.

 As companhias com a equipe motivada têm o dobro de valor na Bolsa 


“Eu me perguntava o que faz com que essas pessoas estejam tão felizes com tão pouco, e como é possível que não guardem rancor quando são agredidos e, inclusive, torturados”, lembra.

**Link para a matéria completa

Lembre-se
"Quando um não quer, dois não brigam"


6 comentários:

  1. Respostas
    1. É preciso urgente mudar a forma de ação também no universo empresarial se quisermos renovar a Vida!!
      Valeu Kalau!

      Excluir
  2. 佛教的公主
    你的建议很漂亮
    拥抱
    威尔逊
    生命是一个永恒的成长

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. 愛是為了保護我們的方式,謝謝!

      Excluir

Fico feliz se deixar sua impressão sobre essa postagem, obrigada!!